30 Anos da Pastoral da Diocese de Palmeira dos Índios-AL

A Pastoral da Criança na Diocese de Palmeira dos Indios, comemorou os 30 anos da Pastoral da Criança em Alagoas no dia 05 de junho de 2014, na no município de Santana do Ipanema. Homenagear os 30 anos da Pastoral da Criança é uma oportunidade para conhecermos com mais profundidade a inspiração da fundadora dra. Zilda Arns Neumann. É, também, oportunidade para revisitar as origens da Pastoral da Criança, e renovar a opção de colocar a criança no centro de nosso trabalho. Foi um momento festivo, educativo com apresentações diversas e a presença ilustre de Dom Dulcênio e irmã Vera Lúcia Altoé, Coodenadora Nacional da Pastoral da Criança. Contamos com um número expressivo de lideranças, coordenadoras paroquiais, de estado, setor e capacitadoras e representantes governamental. Um momento de ênfase merece ser destacado, onde foi cantado os parabéns para as lideranças que com muito amor e dedicação faz acontecer a Pastoral da Criança nas comunidades maiscarentes. Dentre várias apresentações teatrais foi apresentado a paródia que segue.

História da Pastoral da Criança em Alagoas- Diocese Palmeira dos Indios. Meus amigos, eu peço a todos vocês, um pouco de atenção, pois a história que vou contar, nos da grande emoção aconteceu em Maceió e se destacou bem no Sertão.

Em 1984 o bispo de Maceió, Dom Miguel Fénelon Câmara, muito amigo de Dom Geraldo Magella, pediu a DraZilda que viesse a Alagoas, pois a situação das crianças nas comunidades pobres, não eram nada boa ! Porém a DraZilda por ser uma mulher de fibra, não pensou nem na família, pegou logo o avião e em nossa região em pouco tempo chegou ! Logo ao desembarcar lhe apresentaram uma enfermeira, ela observou com clareza, e disse ao bispo com certeza, essa daqui não vai dar !

Foi na comunidade Brejal, que encontrou a Ir. Vicência, mulher de coragem e paciência, e Assistente Social. Ela então sentiu firmeza, pois essa Comunidade, com mais de quatro mil famílias vivendo em extrema pobreza. Pois lá morria muitas crianças com tal desnutrição, desinteria e sarampo e até pneumonia compra-se muito caixão. As duas se deram as mãos e com umas 30 pessoas começou a Capacitação. Muito firme e precavida dessa vez Dra Zilda lhe confiou a Coordenação.

Ir. Vicência convidou, logo D. Severina, mulher de garra, gente fina, para lhe ajudar. Começaram a ensinar, multimistura e o milagroso soro caseiro e as crianças no terreiro então poderam brincar. Quando a coisa se acertou Dra Zilda embarcou pra sua terra natal. A missão continuou quase mais de cinco anos de dedicação e amor.  Ir. Vicência disse a D. Severina, vamos a Palmeira do Índios cuidar de nossos meninos, que lá está um clamor !

Em novembro de oitenta e nove foi fundada a Pastoral da Criança, nessa mesma Diocese que teve D. Fernando Iório como a história descreve. Fizeram mobilização em busca de liderança, ai chegou tanta gente das Paroquias adjacentes e até mesmo no Sertão. Começou a Capacitação e isso eu posso afirmar , daquele dia pra cá não faltou Pastoral em nenhuma região, começaram a ensinar Ações Básica de saúde, com clareza e atitude e as criancinhas a salvar!

Para o bom êxito da missão, precisa de mulher firme, e com boas intensões. Raquel estava lá com muita disposição, o bispo a convidou pra assumir a coordenação. A Pastoral foi se espalhando no Agreste e no Sertão. Assim se passou três anos nessa bonita missão. Raquel teve que se ausentar e não podia deixar vago a Coordenação.

Mais uma vez D. Fernando fez logo a nomeação, dessa feita Lucia Albuquerque de noventa e dois a noventa e sete, assumiu com decisão, cinco anos se passou Lucia e Cícera Nonato fundou a Pastoral da Criança, que trouxe muita esperança. Ela dividiu o Setor em quatro destintas áreas e logo o entregou a cada coordenador D. Hermenia, Ira Helena, Aurina e Fatima de Delmiro que coordenando ali ficou. Lucia teve que sair, a Pastoral continuou, muita ativa, foi feita Assembleia eletiva e a Ir. Helena ganhou, uma holandesa serena com seu trabalho supremo, pois muito si dedicou, E passou mais cinco anos mais Deus mudou os seus planos e para o Céu a levou. Houve muita discussão pra saber quem assumia e Dom Fernando nesse dia, com determinação e Fé, nomeou Charles André, homem que sabe o que quer, para assumir um mandato então ele concordou e sua gestão durou sete anos bem vividas, com seu trabalho assumido que ele ai realizou.

Dom Fernando, por motivo de saúde teve que se afastar dos trabalhos diocesanos para poder se tratar. Então chegou Dom Dulcênio ele é um grande gênio, pra missão continuar. Dom Dulcênio junto ao Charles homens de grande valor juntou os coordenador, para poder conversar e explicar que queria a partir daquele dia da Pastoral participar. Por motivo particular Charles precisou si afastar foi feita uma eleição e Dom Dulcênio então teve que ratificar, a mais votada das três, pra assumir a Coordenação. E dessa vez foi Aurina que mora em Maravilha e decidiu sua vida e na pastoral ficar. Ela foi a Curitiba para ser capacitada, voltou muito entusiasmada, tratou logo em reunir Coordenação de Ramo e Comunidade, com ajuda de Amparo, Coordenadora de Estado, para as novidades passar e assim continuar a confiada missão. Nessa viagem que fez conheceu a Ir. Vera, pois se trata de uma freira, com muito amor e beleza, que levanta nosso astral é Coordenadora Nacional dessa grande Pastoral. Que acompanha gestantes, e até mesmo crianças, até seis anos de idade.

A pastoral já estava dividida em quatro área Delmiro, Santana, Palmeira dos índios e Batalha as coordenadoras de mãos dadas fizeram a expansão das comunidades e levantaram Ramos mortos que ali se encontrava. Capacitação não faltou, boa vontade também, com a Coordenadora estadual a SraMariné que é mulher de fé, e com a vice Vitoria que ajuda a qualquer hora, pra missão continuar. Essas guerreiras líderes, faz visitas as famílias, a celebração da vida, ainda tem reunião para avaliar a Ação e a FABS assinar. E não podia faltar, os capacitadores que ajuda com alegria, pois capacita no Guia e Ação completar.

No Setor Palmeira dos Índios, mulher, homens e meninos todas estão contribuindo, pra também acompanhar 26 municípios, os 31 ramos, 286 comunidades, pois dando continuidade com, 594 líderes e as pessoas do apoio, 593 com esse podemos contar para poder ajudar as, 6.400famílias, que são pessoas destintas, que soma, 447 gestantes, sem esquecer as, 7.847crianças com muita perseverança, a nossa razão de viver. Por isso queremos dizer que durante esse ano nos estamos completando, nossos 25 anos de Pastoral da Criança, no Setor 77 que é nossa Diocese, e 30 anos em Alagoas, que revive as coisas boas, E é com muito prazer que nós vamos receber, a nossa Ir Vera, que vem lá de Curitiba, e em sua primeira visita, em nossa terra sertaneja, que exibe grande beleza e os seus belos coqueiras. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.