Homenagem à uma grande colaboradora da Pastoral da Criança.

Homenagem à uma grande colaboradora da Pastoral da Criança.

Meu nome é Leonardo Duarte, tenho 19 anos e venho através desse texto expressar uma singela homenagem a minha querida avó, a Dona Maria do Socorro Lôbo, que se dedica há 22 anos ao projeto missionário da Pastoral da Criança, mantendo sempre viva em seu coração a fé Cristã e o desejo de ajudar ao próximo.

No último dia 22 de fevereiro, minha avó comemorou suas bodas de ouro, cinquenta anos de união matrimonial, onde celebrou com toda sua família esta data de vitórias e graças alcançadas, ao lado do seu esposo e , principalmente companheiro, o meu avô, João Duarte. É por conta desta data tão especial em nossa família que queria dedicar esta mensagem a minha avó, como uma linda forma de presenteá-la, uma vez que nada alegraria mais o seu coração do que ser homenageada por sua família através do veículo de notícias da Pastoral da Criança, instituição pela qual dedica um amor maternal.

Desde pequena , minha avó tem sido uma mulher batalhadora, criada na pobreza do sertão cearence, nunca deixou de lado a fé cristã e a tradição moral ensinada por seus pais, mesmo diante das dificuldades. Após viajar em um “pau de arara”, para a capital, conseguiu com muito esforço da sua mãe estudar, sempre diante de muitos obstáculos, apoiou-se sempre em suas orações e após muitas lutas ingressou na faculdade de enfermagem da UFC (Universidade Federal do Ceará). Foi ao longo de sua trajetória de vida , que ela confirmou sua vocação de amar ao próximo , tornou-se uma enfermeira competente, mas sobretudo dedicada e amorosa para com os seus pacientes, tal fato lhe rende honrrarias até hoje por parte do Hospital Geral de Fortaleza.

Foi na sua árdua jornada como enfermeira, que minha avó percebeu seu amor por crianças, nos seus últimos anos de trabalho, antes da aposentadoria, trabalhou no setor de Infecção Respiratória Aguda (IRA ) e na Terapia de Reidratação Oral (TRO). Foi nesse período que sentiu em seu coração o chamado à missão iniciada pela Dr. Zilda Arns e após aposentar-se ingressou na Pastoral em 19 de março de 1993, há 22 anos.

Desde então, iniciou uma nova jornada em sua vida, a de salvar crianças carentes da periferia de Fortaleza do ataque de doenças e do mundo do crime, introduzindo a pastoral da criança na pequena comunidade do Parque Jerusalém , onde com certa ajuda conseguiu erguer uma pequena casa apenas no reboco e portanto de uma grande simplicidade para distribuir sopa e levar a palavra de Deus às crianças carentes da região.

Logo depois, após se mudar para a região metropolitana, na praia de Iparana em Caucaia, não esmureceu na missão, com muita luta conseguiu implantar a pastoral nas 12 comunidades carentes das praias do litoral de Caucaia e mesmo com sua idade avançada assumiu o cargo de paroquial e durante algum tempo visitava todo mês cada uma das comunidades, sempre dando força aos líderes locais e darem plena continuidade ao trabalho. Além disso, organizou mutirões para fazer e distribuir multimistura e envolveu-se com os trabalhos da pastoral do idoso.Atualmente, devido às suas condições físicas , deixou o cargo de paroquial, mas mantém sempre em seu coração a bandeira da pastoral da criança, visitando as comunidades carentes sempre que sua condição física permite.

Gostaria muito que este texto fosse publicado, uma vez que seria uma linda surpresa que faria a minha querida avó, faço isto com a intenção de deixá-la feliz por reconhecer o seu esforço para manter viva o belo projeto da Pastoral da Criança. Gostaria também de aproveitar o espaço para fazer um agradecimento a ela, por ter me ensinado com a sua sofrida trajetória de vida que o sofrimento pode ser vencido e que com muito esforço podemos superar barreiras, mas mesmo assim não devemos nos esquecer do outro. Minha avó é com certeza um ícone em nossa família, figura de inspiração para todos nós, hoje com 75 anos não esmurece em nenhum momento , é uma ativa dona de casa e uma grande mãe para todos nós que mesmo com os empecilhos de sua saúde não abre mão do serviço a Deus.

Queria falar em nome de toda a família Lôbo Duarte, o quanto nós amamos a nossa querida Babi, nome carinhoso pela qual nos referimos a ela, seu amor incondicional ao próximo se refletiu em cada um de nós, filhos e netos, que vivemos sempre cercados de tanto amor e cuidado. Queria agradecer a minha avó, por ter sido uma referência na minha vida, se hoje me sinto uma pessoa realizada é porque tive sempre o seu apoio incondicional em todos os aspectos, até mesmo nas decisões mais difíceis que tive de tomar.

Gostaria de estender esta homenagem também ao meu avô, João Duarte, que mesmo nunca tendo se capacitado para ser líder da Pastoral da Criança,é um fiel colaborador e apoiador de todos os projetos que minha avó participa. Em minha concepção, ele é uma pessoa de fundamental importância , para que muitas crianças da periferia de Fortaleza e das praias de Caucaia fossem ajudadas e portanto não seria justo se eu não lhe rendesse tal homenagem.

Por fim, gostaria de encerrar enviando duas fotografias, uma de nossa família, que para mim representa tudo o que minha avó edificou ao longo de sua vida, representação de um dia tão especial, onde comemorou seus 50 anos de união matrimonial e outra do casal( meus avós), que durante anos serviram incondicionalmente ao projeto da Pastoral.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.