Saudações em Cristo, que nos anima na fé na esperança e na comunhão

Queridas irmãs, amigos e leigos do pequeno projeto.

Graça e paz!

Saudações em Cristo, que nos anima na fé na esperança e na comunhão.

Partilho com vocês neste mês das missões, algo dessa rica experiência de ser missionária na nossa querida Amazônia. Para sentir o que é viver aqui é preciso compreender três expressões de Jesus VINDE, VEDE, E IDE.

VINDE…, É ter a coragem de pegar a barca, e comtemplar Deus na imensidade do majestoso rio Amazonas e Tapajós, o encontro dos dois é fruto da singeleza de muitas águas, que tiveram a coragem de doar-se, sair de si para percorrer grandes distâncias, abrir caminhos, saltar cachoeiras, enfrentar as enchentes e a estiagem, desafios e obstáculos só assim acontece o encontro das águas, para somar umas com as outras. Assim como as águas é a nossa missão como irmãs de São José. É percorrer é ir ao encontro das pessoas, seja na terra firme, seja nas águas para encontrar Deus nos rostos de um povo simples, silencioso e contemplativo. Não é mais uma missão é A missão de superar os obstáculos, os medos, as exigências que trazemos conosco, os desapegos a solidão e as inseguranças.

Ser missionária na Amazônia e uma escola para vida toda, certo dia cansada de fazer horas de rabeta (pequeno barco) no maior rio do mundo, encontrei um pescador que contemplava do seu barco o por do sol, uma beleza indescritível da biodiversidade desta terra, parecia desanimado, decepcionado por não ter pescado nada durante o dia, então o saudei e perguntei não vai desse da barca? Ele na sua simplicidade me disse não irmã! Se eu descer da barca e lavar as redes significa que eu desistir de pescar, vou esperar a noite cair, pra Deus me ajudar e amanhã teremos peixes para comer. Naquele momento quem descia da barca fui eu o corpo reclamava de cansaço, aos poucos ia me afastando do rio e do pescador, naquela noite fomos hospedadas na casa de D. Maria, casa de palafita simples de madeira as margem do majestoso rio amazonas e da grande floresta tropical, com alegria em nos hospedar D. Maria nos oferecia o jantar, um pouco de farinha com um peixe bem conhecido da região pirarucu, sentamos todos no chão, não havia luz elétrica , apenas uma lamparina, que iluminava os olhinhos das crianças elas pareciam um pouco curiosas, para saber quem era nós.

A dona Maria nos deu o melhor espaço para dormir na sua humilde casinha, mulher forte líder da pastoral da criança, que durante 10 anos tem salvado muitas vidas de crianças e gestantes da paroquia de Almeirim que está 24h de barco de Santarém. Não era de tantas palavras, mais de uma generosidade muito grande. Fomos dormir em minha rede as palavras daquele pescador me fez refletir noite adentro o que disse era verdade, pois quantas vezes nós descemos da barca lavamos as redes e voltamos para nosso comodismo, para o nosso bem estar, com tantas desculpas que nos impede de viver a beleza de uma grande missão.

VEDE…, é fazer experiência de Jesus no encontro com as pessoas, é a convivência que gera motivação a para entrar no nosso barco e remar para as águas mais profundas. VEDE, é se matricular na escola da escuta, do silêncio, onde se aprende mais do que se ensina ser missionário. A experiência como comunidade Inter congregacional é como o encontro das águas cada uma procurar doa-se para somar no grande rio, que nos ajuda a superar os desafios amazônicos. Quando estudava biologia escutei o meu professor me dizer a seguinte frase: se águas não se encontram não tem força não tem vida, apodrecem e morre. A nossa missão aqui é um pouco isto, somar com a igreja local, em comunhão com as três congregações, assim podemos superar os desafios de aprender, dialogar, acertar e errar juntas, reconhecendo que somos pequenas, nos sentimos impotentes diante de tantos gritos que a Amazônia nos apresenta hoje.

IDE… , Quando vim para missão na Amazônia além de saber que era um grande desafio, sentia também como um grande privilégio que o Senhor me confio.

A missão me ajuda a tomar maior consciência da responsabilidade como irmã. A cada encontro com as famílias, gestantes e crianças, sinto a belezas do testemunho de tantos leigas (o) que se nutri da palavra de Deus encarnada na vida. Quando fico dias visitando as lideres e coordenadoras da pastoral da criança nas paroquias, muitas sem comunicação, distantes, em situações precárias de saúde , educação e transporte ,não me sinto só sinto pois, estamos unidas na oração e na comunhão do nosso Carisma . Assim como disse são Paulo animi-se coragem ânimo vocês não estão só.

Quando estive na Itália percebi o grande carinho como as irmãs e as madres, rezam e a acompanham esta nossa missão, por isso, sinto vocês bem presentes nesta missão aqui neste chão da Diocese de Santarém.

Que neste mês, possamos renovar nosso ardor missionário, nos alimentando da eucaristia e da palavra de Deus que recria a nossa vida.

Que Jesus nos fortaleça e nos ensine o seu jeito de olhar, escutar, envolver, tocar e responder as necessidades da missão segundo o coração de Deus.

A todos um feliz mês missionário saudações em Cristo.

Irmã Maria das Graças ISJ.

     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.