Zilda Arns, uma Médica Pastora

Direto do Blog Ventos que Sopram do Marajó

Zilda Arns, uma Médica Pastora	

Vento do agito, da calmaria
lembre aqui no meu quintal
aquele sorriso de cantoria
de uma linda flor angelical		

Flor do sorriso maravilhoso	
Que soube se doar de paixão
ao santo trabalho silencioso
o bendito Campo de Missão

Menina de Santa Catarina
Flor dos movimentos sociais
ela se formou em medicina
a contra gosto dos seus pais

Logo que foi pra faculdade	
começou a arregaçar a mão
contra a infantil mortalidade
causada pela desidratação	
		
Se formando em Pediatria
ela já evidenciava a vocação
de quem na base da alegria
sabia trabalhar de coração

Pela dedicação na Pediatria
vai ao Paraná, Sul do Brasil
assumir a estadual diretoria
do setor materno-infantil

Dona de coração voluntário
amplia sua generosa visão
para o trabalho comunitário
combatendo a desnutrição

Vento da calmaria, do agito
tu sabes de quem tou a falar
é de Zilda, do sorriso bonito
da ação solidária popular

Sua ação feita com paciência
visando a comunidade, o lar
combatia prática da violência
nos contextos sócio-familiar

Nas suas atividades de vida
via que as doenças da nação
só poderiam ser combatidas
com a prática da prevenção

Pediatra alma dos idealistas
Zilda busca se aprofundar
nos trabalhos de sanitarista 
voltado pra pobre população

E ela que tinha forte crença
no Deus que quer de nós ação
achava que muitas doenças
poderiam ter erradicação

O seu sorriso feito da poesia
certo dia teve a imaginação
de desenvolver metodologia
pra combater a subnutrição

Zilda ajudou com simplicidade
a salvar a vida de muitos bebês
de três,  cinco meses de idade	
baseado em João capítulo seis

Ela tinha um especial carinho
pelo milagre da multiplicação
aquele dos pães e Peixinhos
do Capítulo Seis de São João

Vento, idealista companheiro
Zilda Arns muito estimulou
uso do lendário Soro Caseiro
que a inúmeras vidas salvou

Soro caseiro tão memorável
é Indolor, feito por via oral
em mistura de água potável
duas de açúcar e uma de sal

Foi este Soro uma santa idéia
na base da líquida reposição
o remédio contra a diarréia
a causadora da desitratação

Santa mulher das atitudes	
estimulava na sua paz gentil
cinco ações básicas de saúde
contra a mortalidade infantil

Cinco gestos recomendados:
Saúde da Gestante, Vacinação
Soro Caseiro, Peso Controlado
e a Maternal Amamentação

Vento das ações mais belas
eu sei que consegues refletir:
Se os homens fecham janelas
Deus uma porta sabe abrir

Sei que nas tuas lembranças
claro que recordas João, seis
também Pastoral da Criança
criada ano de Oitenta e três

Irmã dum ativista libertário
Dom Evaristo Arns, Cardeal
Zilda do apego Comunitário
Funda a Importante Pastoral

Seu sorriso solidário, ativista
achava que o carente pessoal
poderia ser o protagonista
de uma transformação social

E como santo instrumento
de multiplicação, motivação...
Zilda Arns leva conhecimento
sobre temas como educação

Seu lindo espírito solidário
contava com a participação
dos visionários comunitários
sem governamental ligação

Longe de ser  enclausurada
na burocracia dum hospital
era a mulher de caminhada
com o lindo sorriso angelical

Longe de ser qualquer doutora
que se limita a mero receitual
transparecia ser  uma pastoral
com sua bondade medicinal

Mulher solidária, caridosa
Zilda estava lá na fundação
da Pastoral da Pessoa Idosa
serenamente na coordenação

Flor Naturalmente Risonha
aos Idosos dava orientação
sobre problemas de insônia
e urina solta, alta pressão...

Médica das mais generosas
diferente de alguns da nação
na Pastoral da Pessoal Idosa
sabia dar especial atenção

Mesmo sendo da Pediatria
a médica parceria vai fazer
com o pessoal da Geriatria
sempre ligada a   C  N  B  B

Zilda da ações comunitárias
recebeu um convite pastoral
à uma atividade humanitária
Missão de  Paz Internacional	

Vento, sumano visionário
eu sei que muito dói em ti
e dói no voluntário solidário
falar dos muitos ais do Haiti

Ah, dói  lembrar o ai haitiano
povo em péssimas condições
extorquido por americanos
e isso ao longo de gerações

Quando aquele povo sofrido
mergulha numa guerra civil
o Haiti, mais empobrecido
vai receber ajuda do Brasil

Vento, um dia um terremoto
sacudiu aquela pobre nação
e entre os milhares de mortos
tava Zilda, em Pastoral Missão	

Partiu cumprindo ordenança
na hora do discurso, reflexão
que falava sobre as crianças
tão necessitadas de atenção

Sua voz recheada de carinho
falava do pássaro cuidador 
que protege seus filhotinhos
das garras de um predador

No seu discursar emocionado
o último da sua bela missão
dizia ser um direito sagrado
a Criança viver sob proteção

Vento do mais brando agito	
dos balanços motivacionais
a irmã do sorriso tão bonito
partiu, e em Missão de Paz

Flor humana feita  de poesia
da voz de compasso musical
traduzia o tom da sociologia
quando falava do tecido social

Religiosa de alma carismática
que no escombro da comoção
partiu em atividade diplomática
e no pleno Campo de Missão

Era uma alma tão iluminada
no mundo mesquinho, cruel
que se já achava privilegiada
com a indicação para o Nobel

Linda, era serena missionária
um sorriso doce, meigo olhar
que não tendo cor partidária
optou pelo dom de partilhar

Ah, meu grande amigo Vento
aquela descendente de alemão
soube honrar um JURAMENTO
que tanto enfatiza a gratidão

E tu que falas bem às claras
nunca vi esta irmã de Cardeal
cobrando até o olho da cara
do necessitado pobre pessoal

Zilda que atendia as consultas
só na base do fraternal amor
não é igual a gente que insulta
com um alto e desumano valor

Zilda Arns forjada nas pelejas
deixou saudades até demais
partiu dicursando numa Igreja
e em Missão do Deus da Paz

Seu sorriso de Anjo Missionário
hoje em dia tanta falta nos faz
diante de um sistema precário
único, perverso, vilão, ineficaz...

Jetro Fagundes
Farinheiro Marajoara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.