HOMENAGEM

São Luiz de Cáceres – Mato Grosso

HOMENAGEM

 

Sou líder e vice coordenadora da Pastoral da Criança em Nova Olímpia. Despertei para essa missão ao conviver e admirar esta grande mulher.

Hoje falecida e gostaria de lhe prestar esta homenagem, postando sua história de vida no Jornal da Pastoral da Criança onde ela foi um exemplo de vida. Assim como uma vela que se consome pelos menos favorecidos.

Foi assim que viveu e amou:

Em 07 de Setembro de 1937 nasce Maura da Silva Neves (Dona Caçula). Em Salto, na Bahia, filha de Jacinto e Antonia (in memoriam). Cresce, em graça e amor…logo fica órfã de mãe.

Ainda jovem assume juntamente com seu pai a responsabilidade de criar os filhos da irmã falecida. A experiência e o amor fazem com que se torne parteira e segue ajudando mães e recém-nascidos na comunidade. Ainda solteira adota duas crianças. Aparecem os pretendentes…mas não aceitam as crianças.

Em 20 de junho de 1977 se casa com Benedito (Seu Bené) esposo e companheiro por 35 anos. Em 1985 vem para o Mato Grosso. Enfrenta as dificuldades de chegar numa terra desconhecida. Se estabelece na casa paroquial, transformando seu lar na Casa da Comunidade com poucos recursos e muita boa vontade, as reuniões, preparações para festas e outros serviços eram realizados em sua casa.

Mulher de fé e devoção testemunhava o evangelho através de oração e ação, se dividindo entre família e amigos, Igreja, Catequese, Apostolado da oração, ministra da Eucarístia e da palavra do grupo de reflexão e oração nas famílias. Entre todos os serviços a Pastoral da Criança é bioenergético. Por volta dos anos 90, a convite da Irmã Letícia, Dona Fia, Luzia, Sueli (in memoriam) e Almezinha (in memoriam) iniciam a Pastoral da Criança. 

Desenvolvendo um trabalho de combate a desnutrição e mortalidade infantil. Não media esforço para fortalecer essa Pastoral. Em sua casa construiu um espaço para fazer a multi-mistura, remédios e a Celebração da Vida; trabalhava em campanhas beneficientes e as vezes pedindo doações.

Em 94 cometida por um câncer, guerreira não chorava. Ensinando, cuidando, brincando, rezando, motivando a ser voluntária com amor. No dia 06 de setembro de 2011 aos 74 anos morre Dona Caçula. Alguém disse: “De tempos em tempos Deus manda alguém para nos servir o exemplo.”

Que seu exemplo de mãe, mulher, amiga, evangelizadora, de amor, fé e doação permaneça vivo em cada um de nós para que continue a história de luta.

“Para que todos tenham vida e a tenham em abundância”. (Jo 10, 10)

Colaboração: Terezinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.