Jornal 186 – Testemunho – Nada é pequeno onde o amor é grande

Em algumas circunstâncias palavras são insuficientes para expressar o que sentimos, mas mesmo assim agradeço à família Pastoral da Criança por fazer parte desta rede de solidariedade. Foram experiências magníficas e transformadoras, minha primeira experiência direta com o povo de Deus.


Nossa, como é gratificante olhar para trás e ver o quanto contribuímos para fazer o bem acontecer. Inúmeras pessoas dedicando parte do seu tempo por uma sociedade mais justa, quantas amizades conquistadas, quantas famílias resgatando valores e dignidade, quantas crianças receberam de volta a vida, parece um sonho, mas é realidade. Aprendi a amar a Pastoral da Criança e todos que dela fazem parte mesmo sem ter contato direto, mas simplesmente por serem membros, e uma coisa tenho certeza, serei Pastoral sempre. Serei sempre grata por tudo que aprendi e recebi, grata aos líderes, equipe de apoio, coordenadores de Àrea e Ramo que são incansáveis, grata de modo especial à Jacque que, como apoio ao Setor, foi uma grande companheira, atenciosa e prestativa, sempre encontrando solução para tudo. A você, Irmã Vera, muito obrigada por tudo. Certamente tudo que conquistamos tem um dedinho seu. Suas cartinhas de incentivo aos líderes são uma injeção de ânimo renovada a cada mês. Sua simplicidade é encantadora. Enfim, deixo a Pastoral da Criança da Diocese de Bragança. Já sinto saudades, mas devo iniciar uma nova missão.

 

 

Colaboração: Irmã Elizete Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.